Publicado em
10 de maio 2013
compartilhar

Na última noite de quinta-feira (25), um espetáculo tomou conta da rua que divide as quadras 312 e 313 norte. Resultado do apoio de patrocinadores e simpatizantes do projeto junto à determinação e sensibilidade do idealizador Luiz Amorim, o show marcou a comemoração dos quinze anos da Noite Cultural T-Bone. No  palco, nada menos que Ed Motta, cantando ao som da Orquestra do Teatro Nacional Claudio Santoro. O vozeirão que esbanjou soul music, acompanhado da sinfonia clássica, não só deu certo, como arrastou pelo menos dez mil pessoas ao local.

Como de costume, a noite iniciou-se com poesia,  desta vez acompanhada de frases musicais da clarineta de Fernando Machado. Após o sarau poético apresentado por Miqueias Paz – e com a rua lotada -, Ed Motta entrou no palco em que a orquestra já estava a postos, o esperando. A dupla arrepiou a multidão que  se deixou levar pelos  acordes com câmeras, brilho nos olhos e cantoria. “Ed Motta tem um popular que é clássico” - comentou Marconi Scarinci, diretor executivo da orquestra. “O ousado é que o Luiz percebe que as pessoas não precisam apenas de alimento para o corpo, mas precisam para a alma também”, destacou, admirado. .

Durante o show, representantes dos patrocinadores puderam acompanhar tudo pela grande televisão instalada na sala da recepção. E,  ainda, assistiram do alto as reações da enorme multidão que participava do espetáculo,  extasiada.  José Samuel Magalhães, gerente de comunicação da Petrobrás, que marcou presença  do início ao fim, ressaltou que “ trata-se de um projeto cultural que atende públicos de todas as classes”.

“Queremos que Brasília reconheça isso cada vez mais. Para nós da Petrobrás, esse projeto é um case que levamos a todos os lugares. Temos uma parceria fortíssima com o T-Bone” - comentou Magalhães, que comemorou estar renovando o apoio por mais um ano. Ele  atentou para a necessidade de novos patrocínios: “Esperamos que entrem outros colaboradores. Assim,   o evento irá crescer ainda mais”.

Paulo Nishi,  o assessor da Fundação Banco do Brasil,  instituição que patrocina as estações culturais, esteve presente na Noite Cultural e  comentou a importância de novos parceiros nos projetos do T-Bone.

Apesar de ter sido  a primeira vez que a orquestra tocou no evento, segundo o maestro Claudio Cohen, ele  próprio  dá apoio aos  projetos desde o início das noites culturais,  colaborando com o trabalho de Luiz Amorim. “Participar, hoje, com a orquestra, é demonstrar que realmente contribuímos com  essa iniciativa e que ela deve continuar sempre crescendo.”

“Fizemos arranjos especialmente direcionados para essa ocasião. O Ed saiu daqui muito bem impressionado e a orquestra gostou muito de atuar com ele. Foi muito legal.  Tivemos  uma química perfeita desde o início” - comentou o maestro.

Leilane Alves Pereira, que trabalha na assessoria de comunicação do grupo Santa Lúcia, frequenta os shows há cinco anos e, com a experiência de quem é veterana, elogiou o idealizador do projeto. “O Luiz é uma pessoa que muita gente admira. É incrível como apesar de todo sucesso dos eventos, ano após ano, ele continua uma pessoa extremamente simples.”


As Noites Culturais T-Bone têm patrocínio da Petrobrás e da Eletrobrás Eletronorte,  além do apoio da Secretaria de Cultura do Distrito Federal.