Publicado em
10 de janeiro 2008
compartilhar

As estantes a céu aberto nas paradas de ônibus da avenida W3 Norte, recentemente batizadas de Estações Culturais, completam na próxima semana cinco anos de existência. O criador do projeto é Luiz Amorim, proprietário do Açougue Cultural T-Bone. O nome já diz, é um açougue. Mas, ao contrário dos outros estabelecimentos do gênero, que se limitam a vender carne, este tem uma biblioteca.

“É um grande prazer poder comemorar mais um ano desse projeto que leva todos os dias um pouco de cultura e incentivo e, acima de tudo, promove a democratização da leitura”, conta Luiz Amorim. Atualmente, são mais de 24 mil títulos e 36 paradas de ônibus com bibliotecas em toda a W3 Norte. A manutenção é feita pelo próprio Luiz Amorim com a ajuda de três pessoas. Por dia, ele diz, todas as estações emprestam mil livros. Tanto o empréstimo como a devolução são respeitadas pelo público. “Eles não só respeitam a devolução, como também doam livros”, conta.

Inclusão digital – Os espaços também promovem a inclusão digital, por meio de internet livre. “O projeto é interessante, principalmente para as pessoas que não gostam de ler. De tanto olhar e ver os livros na prateleira, uma hora essas pessoas vão acabar se rendendo aos encantos da leitura”, acredita Dayana Bento de Souza, que veio para uma entrevista de emprego na W3 Norte e não resistiu aos livros.